Páginas

domingo, 6 de dezembro de 2009

Eu por mim mesmo

"Por vezes, minhas palavras se traduzem em olhares, e meu silêncio se converte em pensamentos e em até palavras.

Gosto e pratico bastante a arte de escutar, mas só falo por necessidade.
Sou fatalmente sincero e quase sempre incompreendido.
Anseio por conquistas, porém, as quero sem luta.
Não encontro pas ao meu redor.
Descobrí que ela está em mim.
Sou rei das palavras para não ser escravo do silêncio.
Portanto, falo. Olho, e espero as consequências, torcendo suportá-las."

(Autor Anômino - Adaptado por Ricardo Galiasso)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua mensagem, se não tiver algo construtivo para escrever... utilize-se do direito de não comentar! Obrigado