Páginas

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Sinais de Deus


Um homem sussurrou: Deus fale comigo.
E um rouxinol começou a cantar
Mas o homem não ouviu.
Então o homem repetiu:
Deus fale comigo!
E um trovão ecoou nos céus
Mas o homem foi incapaz de ouvir.
O Homem olhou em volta e disse:
Deus deixe-me vê-lo
E uma estrela brilhou no céu
Mas o homem não a notou.
O homem começou a gritar:
Deus mostre-me um milagre
E uma criança nasceu
Mas o homem não sentiu o pulsar da vida.
Então o homem começou a chorar e a se desesperar:
Deus toque-me e deixe-me sentir que você está aqui comigo…
E uma borboleta pousou suavemente
Em seu ombro
O homem espantou a borboleta com a mão e desiludido
Continuou o seu caminho triste, sozinho e com medo.
Até quando teremos que sofrer para compreendermos
que Deus está sempre aonde está a vida?
Até quando manteremos nossos olhos e nossos
corações fechados para o milagre da vida que se apresentas
diante de nós em todos os momentos?

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Le début et la fin

O título ilustra o "título dos títulos"... No bom e belo francês: "O começo e o fim"
Mas por que "título dos títulos"?
Ora, tudo que começa, termina!
Por que do fim?
Own, tantas perguntas pra poucas respostas às vezes sem um liame de causalidade real...Mas não se esqueça que real é aquilo que você torna! Então...
Vivo na certeza das palavras de Alexandre "O Grande"...
Hammm?
Eu explico. Não conhecia tal citação até ler o discurso de posse do até então Procurador Geral de Justiça do Estado do Espírito Santo: Fernando Zardini.
Conta a história, que "à beira da morte", Alexandre "O Grande", convocou seus generais e relatou seus 3 últimos desejos:

1. Que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época;

2. Que fosse espalhado no caminho até seu túmulo os seus tesouros conquistados (prata, ouro, pedras preciosas…); e
3. Que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos.
Um dos seus generais, admirado com esses desejos insólitos, perguntou; a Alexandre quais as razões. Alexandre explicou:
1. Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles NÃO têm poder de cura perante a morte;
2. Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;
3. Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos…

Quem foi ele? Um dos maiores conquistadores do mundo antigo... sem ao menos ter 30 anos.
Presumo que pela campanha empreendida, tenha autoridade para tais palavras.
Ele tornou reais suas conquistas. O que nos falta, por vezes, para realizar as nossas?

Bach: Soli Deo Gloria